Áspera e sensível

terça-feira, 27 de dezembro de 2011


Tudo é forte e fugidio, avassalador e acometedor. Hoje atração, amanhã gestos apaixonados, depois de amanhã insegurança, na semana seguinte, nunca mais. Sumiço, desfechos entreabertos, brechas para o futuro; buracos para o passado. Qualquer dia, na casualidade, um outro encontro, novo tom de sentimentos, um enredo inovador praquilo que deixamos para mais tarde.
 - Camila Paier 

A maneira como as pessoas chegam e partem da nossa vida é intrigante. Não a convidamos para entrar, mas mesmo assim elas invadem; não pedimos para sair, mas elas se vão. Pedimos para entrar, mas elas se recusam; expulsamos, e elas insistem em ficar. Ai tudo se torna um amontoado de casualidades que uma hora dão certo e outras não. Tenho esperado por muito tempo certas realizações. A vida tem me tirado metade das minhas esperanças. Em alguns momentos, em alguns sonhos, o furto é total. Essas idas e vindas me ferem, me deixam áspera, me deixam sensível. Deixam-me irreconhecível. Já faz um tempo que não me reconheço mais... Tenho agido demais... Meus sentimentos pedem ação. O problema é que essas ações, muitas vezes em outros tempos não seriam minhas, isso têm me assustado. Não sei se estou agindo certo ou errado. Sei apenas que to agindo com meu coração.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.