Contagiosa e incurável

domingo, 21 de agosto de 2011


Dentre as coisas que a gente não escolhe, se apaixonar ou magoar alguém. Acontece do nada, surreal. Um ciclo de gostos e desgostos. A vida é assim, alguém ama fulano, que ama ciclano, que ama beltrano. Magoa-se sem intensão. E pelo fato do coração ser um órgão traiçoeiro, condenamos ele por nossas decisões sem sentido. Algo inexplicável.  Como pode gostar de alguém à primeira vista, ou odiar sem nunca ter visto? Deve ter sido pela sua formula complicada que surgiu a tal química do amor. É preciso haver cheiro, toques, sabores. Um olhar, um gesto, uma frase. Uma ação pra ficar sem reação. Não importa, uma única é suficiente. Te seduz, te amarra, te tortura. Mesmo assim o domínio é tamanho que te venda os olhos, e não importa o que digam o sentimento é mais forte. É uma doença contagiosa e incurável.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.