Deixa vir do coração

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011


Pra que tanta formalidade? Deixamos de ser hipócritas com nossos sentimentos. Vamos nos permitir, jogar tudo pro ar e enfrentar essas barreiras juntos. As dúvidas, as incertezas, os medos, as possibilidades; invadiram minha mente e tudo está tão desorganizado. Os dias têm passado numa lentidão que me apavora. Porque tudo começa a se tornar irônico?! Porque na vida deparamos com certas regras injustas, aí perdemos nossas posses (se é que um dia já foi meu, mas me dou autonomia de me nomear proprietária), nossos bens preciosos. Aí a vontade se vai e a motivação se escoa, nos sentimos desanimados e começamos a pensar besteiras. Mas como trocar as lágrimas pelo o riso? SIMPLES! Quando tudo se vai, as escolhas ainda estão diante de nós; e desistir ou continuar é uma dessas. Não há necessidade de desistir, podemos continuar, reconstruir... Fazer de novo, e de novo, e de novo... E quantas vezes forem necessárias. Mas, o hoje, o agora precisa ser vivido sem adiamentos. Se for verdadeiro vale à pena correr riscos. A não ser que isso não passe de uma mentira, aí realmente não vale à pena. Não são regras, não são conceitos, não são status que fazem uma pessoa feliz. O que a faz feliz é sonhar e realizar. Se não realiza, não é sonho... E sim pesadelo. Não que eu queira aqui sugerir uma quebra de paradigmas ou fórmulas prontas para uma história de longos anos e outra de curtos dias. Mas quero uma troca verdadeira, um envolvimento menos restrito sem muitos “sis”. É muito clara a minha intenção em mostrar essa complexa entrega. Quem decide se quer ou não continuar nessa vida rotineira não é eu. Eu já decidi, eu quero viver um grande amor.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.