Teimosas borboletas

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012



Por um instante me vi ali parada, borboletas faziam piruetas no meu estomago, minhas pernas tremiam, e a vontade que tinha era de poder te abraçar. Poder te beijar. A muito tempo não me sentia assim com essa sensação de adolescente quando começa a paquerar. Como foi bom poder sentir isso, saber o quanto eu te amo, o quanto de você que está em mim. As formalidades são tantas que nem lamento mais, afinal daqui por diante não só mais a formalidade, também a amizade. Pra você a cumplicidade. Por um lado vai ser bom, minhas borboletas irão dançar toda vez que te ver. Ainda mais, tão inesperado como foi. Ainda mais, vendo-te surpreso como ficou. Eu nem tenho mais a vergonha de dizer, não me importo mais com o que vão dizer. Não to pedindo opiniões. E como já te disse, vou dizer que te quero até você enjoar de mim. Até a princesa perder seu trono. Até mesmo a princesa virando plebeia. Vai sempre estar dentro de mim o desejo em te querer. Quero fazer da espera, uma esperança. E não me diga para não esperar. Eu não sou obrigada a te obedecer.


Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.