Prisão

quarta-feira, 29 de junho de 2011


Acordei hoje com tal nostalgia de ser feliz. Eu nunca fui livre na minha vida inteira. Por dentro eu sempre me persegui. Eu me tornei intolerável para mim mesma. Vivo numa dualidade dilacerante. Eu tenho uma aparente liberdade mas estou presa dentro de mim.

Clarice Lispector

Uma prisão sem tamanho. Confusa, intensa. Indefinível. Tudo se tornando cada vez mais nostálgico. Não sei como me libertar dessa grade que me rodeia. Pressão e mais pressão. Responsabilidades. Chateações. Confusão. Incontrolável. Difícil de suportar. Sei apenas que estou morrendo a cada minuto que passa. Não quero mais viver assim. Porém não posso me libertar.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.