Sem nome e sem endereço

segunda-feira, 11 de julho de 2011


Parece que envelheci e tudo o que me rodeia está ameno. Sem graça. Não tenho vontade de mais nada. Ás vezes até tenho, mas não consigo me animar. As pessoas têm uma empolgação que eu não tenho. Nem sei se algum dia eu venha a ter. Pessimista que sou, não faço mais planos futuros. Não há nada mais frustante do que ficar esperando, esperando... e no final nada acontecer. 
Nossa como a juventude é incrível! tudo tão exagerado e explícito. Não que não seja mais jovem. Só tenho 21. Mas me sinto idosa. Meus gostos não são mais os mesmos, estão mais apurados, bem selecionados. Creio que cada vez melhor. Porém, essa mudança fez com que muita coisa perdesse a intensidade. Muitas vezes até perdessem o valor. 
Em muitos momentos eu queria se ser exagerada de felicidade. Cheia de explosões mesmo. Risos. Só que é como se eu tivesse tomado alguma droga ilícita, que desviou todos os meus ânimos pra um lugar sem nome e sem endereço. É complicado. Não que envelhecer seja sinônimo de tristeza. Mas talvez eu esteja mesmo envelhecendo.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.