A tal da química

terça-feira, 24 de janeiro de 2012


Loiro, moreno; alto, baixo, careca, cabeludo; negro, branco. Não importa. Quando se tem a tal da química, não há carne nem coração que resista. O coração acelera, a respiração pesa, o olhar se perde. E o corpo sofre uma adrenalina incomparável. São os hormônios que agem, liberando cheiros, sabores, sensações... Eles agem por si só, não pedem permissão a ninguém. Invade e quem tiver medo que saia da frente. Porém, sair não adianta. Ela chega, pode ser tarde, mas chega. E quando nos damos conta, já estamos envolvidos nessa fórmula de risos e choros. Complicada, incalculável, inexplicável... Mas pra que entender néh? São sensações tão boas que dispensa explicações.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.