Céu de lua cheia

segunda-feira, 7 de maio de 2012


Nossos momentos — mesmo os mais rápidos e indispensáveis — repetem-se diariamente em minha cabeça, como num filme obsoleto sem fim. Sem fim. -Jeniffer Rebelatto

Covarde a lua. Lua que hoje teimou em ser linda. Ousou em exuberância. Covarde! Já não basta o pensar frequente em você, vem a lua me desafiar. Ao mesmo tempo feliz, fico triste. Céu de lua cheia. Cheia de saudades, desejos. Vazia. Por um sentimento vago. Ah, bela! Por que me deixas assim? Doce tentação. Mistura de sensações... Equívocos. E apenas meras lembranças. Lua, lua... Pare de me seduzir! Deliro.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.