Ah, a solteirice aguda…

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Apesar da torcida contra, das tias de plantão querendo nos converter à vida de clausura conjugal, apesar de eu achar lindo uma noiva entrando na igreja, não há sequer uma célula no meu organismo pulsando para casar. Me chamo de solteira assumida. Que contradição! Se assumisse, não seria solteira. rsrs! O verdadeiro solteiro não tem amarras nem consigo mesmo. E, olha que ironia, nunca está sozinho. Aquele papo de "antes só do que mal acompanhado", não cola. Na verdade para um solteiro legítimo, não há companhia ruim, há experiência de vida [mas também não precisa ser qualquer experiência, tem quer ser daquelas que te acresçam algo e não as que tiram]. E sim, somos quem mais ama! Um de cada vez, vários, muitos ao mesmo tempo. Se um coração não tem dono - bate independente da vontade -, por que nós teríamos?

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.