Encarando a primeira vez

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Aí hoje é meu aniversário, data que – pasmem! – não me anima em especial, e tudo que eu pensava era nesse bendito “aniversário”, como seria meu dia hoje. Sério, me gerou uma apreensão mega, digna de primeira vez mesmo...
Mas quer saber?? Ôôô coisinha hiper valorizada essa, né? Também, quantas vezes você não ouviu “a primeira vez a gente nunca esquece...”? É tanto peso que dá no que (não) dá: até eu, se não tivesse aqui, encarado, o meu primeiro post, poderia ter “broxado” e desistido, rs...
E não é sempre assim? A gente, diante da primeira vez que vai fazer qualquer coisa que julga importante, estremece. Mas... por que mesmo? Alguém me fala??
Eu sei que você pode me dizer que é exatamente porque é importante, ué. Porém, vou ter que questionar; senão nem estaria aqui. ;o)
Se a gente reparar, são as mudanças que renovam a nossa vida. É com elas que aprendemos, sempre e somente... E toda primeira vez traz uma mudança ou possibilidade de mudança embutida. Por isso, mesmo com um pouco de medo, relutância, preguiça ou qualquer outro obstáculo cabível, a gente devia mais era se empolgar, partir pra cima com vontade, curiosidade, de peito aberto mesmo....
responsabilidade não é favor, é obrigação.
Claro que é natural ter uma expectativa – o que me parece é que se a gente deixar, essa expectativa vira uma coisa negativa mais facilmente do que poderia/deveria (É claro que eu tô falando por mim, e se pra você for diferente, YEY! - me ensina como faz?). Só que se a gente ficar tentando prever o que fazer diante de cada possibilidade... MEDO! Fora que, se a gente soubesse tudo o que ia nos acontecer, ZZZZZ...tééééédiôôôôô! Então... o quê fazer??

Por fim, tive uma idéia: se a gente trocar o “desconhecido” (amedrontador) pelo “novo” (estimulante) acho que dá jogo...

Afinal, por que será que todo mundo adora uma novidade, não é mesmo?
Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.