Vertigens da saudade

domingo, 20 de janeiro de 2013

Às vezes abraçar o travesseiro na cama se torna a melhor companhia. Têm dias, que as noites são realmente complicadas. Às vezes, a vontade que dá, é de sussurrar ao menos uma boa noite, dorme bem. Mas fico quieta, sem dizer uma só palavra. Conversando comigo mesmo, por dentro. Confesso que não entendo algumas coisas, então minhas idéias entram em conflito. Sei que evoluir é aceitar o inaceitável, tem coisas que não são pra serem entendidas, são assim e pronto. Então, durmo. Pode não parecer, mas dormir faz o tempo passar mais rápido, e quando não se sonha, acalenta as vertigens da saudade.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.