Todo dia é dia de encanto?

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011



Como manter tanto encanto? Diante de tanto sentimento, tanto desejo e nenhum tato. Do encontro ao desencontro dos olhos. Da carne trêmula, que arrepia a cada lembrança. Do pensar distraído, fixo no longe, muito longe. Da vontade. Da paixão. Do medo. Do (im)possível. Tão bela, e exuberante elegância... Essa história de dias contados, incógnitos, e esperança... Muita esperança. Esperança de que não se esfrie, e que torne quente, e não morna (quase fria) como está. A não esperança, que fique como as folhas de outono.  Secas, em cores carameladas, mas sempre elegantes. Soltas, numa leveza em que o vento sopra, e viaja sem destino. E que se desfaz aos poucos, em mais um ato de elegância que a natureza propõe-lhe. Como manter tamanha elegância? Como? Como? Não há tão verdadeira elegância quando há tristeza, é só uma capa que cobre todo aquele charme desconfigurado.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.