Palavras sem atos

domingo, 11 de dezembro de 2011


Por um instante achei que tudo começava a ganhar contraste naqueles dias cinza. Mas percebi que em um segundo muita coisa muda, muita coisa existe e deixa de existir, muita coisa chega e vai embora, muita coisa envolve e aprisiona, muita coisa fascina e iludi. Por muitas e muitas vezes me apeguei em palavras, na poesia que a todo momento era pronunciada, que como o canto da sereia, enfeitiçava. Talvez as palavras nem possuíssem esse poder todo, eu é quem me deixei ser dramática e sentimental. Até... até descobrir ou apenas fingir acreditar que mentiras é que eram ditas. Fingir acreditar pra me distanciar. Finjo, pois não consigo acreditar que não eram verdadeiras. Estou em processo de volta à realidade, foi tudo tão mágico que se prendeu num pêndulo de incertezas. Um mundo de promessas às quais jamais poderiam ser cumpridas. Entrei nesse jogo de palavras sem atos. Um dia escrevi isso. Hoje ainda penso que confiança muda por pequenos detalhes sim.

Ilária Oliveira. Tecnologia do Blogger.